Combater o bom combate

“Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda”. (Paulo de Tarso, 2 Timóteo 4: 7-8)

A que bom combate Paulo de Tarso se referia?

Em nossas vidas, deparamo-nos com diversas situações conflituosas representadas pelas dificuldades de toda ordem, podendo asfixiar a fé, a confiança, os talentos que Deus nos deu e a esperança em dias melhores na busca dos nossos objetivos, ideais e perspectivas de servir. Estas situações podem, também, ser vistas como condicionamentos ou reflexos dominantes da personalidade que se expressam sob a forma de interesses passageiros, superficiais e que não cedem espaço a entendimentos mais profundos.

Não basta combater os inimigos externos, pois a essência está na luta íntima, no combate das nossas imperfeições morais, em que devemos buscar a melhoria como seres humanos, estabelecendo harmonia em nossas convivências fraternas, quer sejam elas familiar, profissional, social, religiosa ou outras tantas.

Assim travamos, dentro de nós, uma luta interna do bem contra o mal, ou o bom combate, lutando contra as nossas tendências inferiores. Desta luta, desejamos ardentemente vencer e manter a fé, a confiança e a esperança, transformando-as em aspirações libertadoras. Devemos combater tudo aquilo que esteja em desacordo com a ética e a moral, conforme a Palavra de Deus.

A corrente vibratória do bem estimula ao progresso, capacita para a harmonia e posiciona para a glória imortal. Luta é bênção. Sem ela a vida periclita e degenera. A luta é um desafio abençoado que a lei do progresso impõe. É preciso lutar em paz, alegremente, sabendo que os bons Espíritos lutarão ao nosso lado em nome do lutador incessante que é Jesus, permanecendo sempre conosco.

Podemos combater pelo conhecimento das verdades que libertam, aproveitando-as para edificar a morada interior em alicerces celestes. Do entendimento e da conduta de cada um de nós, dependerá a felicidade ou o infortúnio.

Se conseguirmos desencadear esta luta, escalando os cimos de evolução para a emancipação da alma, utilizando os arsenais do amor, do trabalho, da abnegação, do devotamento e do testemunho vivo das virtudes, teremos, como Paulo, combatido o bom combate e vencido mais uma etapa, e mantido a fé e a confiança em Deus.

Bibliografia:

BÍBLIA SAGRADA.

COELHO, Rogério. Esforço iluminativo. O Consolador. Disponível em: http://oconsolador.com/ano3/138/rogerio_coelho.html. Publicado em: 2º de dezembro de 2009. Acessado em: 3 de abril de 2020.

JUNIOR, Adelino A. Chaves. No bom combate. Centro Espírita Batuira. Disponível em: http://www.cebatuira.org.br/estudos_detalhes.asp?estudoid=1074. Publicado em: 10 de agosto de 2015. Acessado em: 3 de abril de 2020.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close