Lei de retorno

Jesus disse: “E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal, para a ressurreição da condenação” (João, 5: 29).

Segundo a Doutrina Espírita, a palavra “ressurreição” nesse texto evangélico traduz a lei da reencarnação na busca da perfeição com o retorno do Espírito em um novo corpo físico, para ascender mais um degrau evolutivo de transformação ou renovação moral e intelectual para o progresso espiritual (ressurreição da vida), e como mais uma oportunidade ao Espírito para corrigir-se e reparar o mal realizado (ressurreição da condenação). Isso porque em cada reencarnação o Espírito tem a sua posição definida de regeneração e resgate.

Hoje, estamos preparando a reencarnação de amanhã, cujos benefícios decorrentes indicam a manifestação da justiça e da misericórdia divinas, que não condenam o Espírito infrator ao sofrimento eterno, trazendo em seus mecanismos as propostas de aprendizado e os impositivos da lei de causa e efeito.

Assim, a reencarnação proporciona ao Espírito devedor as condições de refazimento do seu destino, sobretudo se há empenho em melhorar-se. O ser humano, em pluralidade de existências, em cada retorno vai lapidando as suas qualidades sublimes, indispensáveis à ascensão, e que constituem as virtudes do Cristo, progressivas em cada um de nós.

O Espírito Emmanuel, no livro “Pão Nosso”, em “Lei de retorno”, no Capítulo 127, na psicografia de Francisco Cândido Xavier, esclarece:

“E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal, para a ressurreição da condenação. – Jesus (João, 5: 29)

Em raras passagens do Evangelho, a lei reencarnacionista permanece tão clara quanto aqui, em que o ensino do Mestre se reporta à ressurreição da condenação.

Como entenderiam estas palavras os teólogos interessados na existência de um inferno ardente e imperecível?

As criaturas dedicadas ao bem encontrarão a fonte da vida em se banhando nas águas da morte corporal. Suas realizações do porvir seguem na ascensão justa, em correspondência direta com o esforço perseverante que desenvolveram no rumo da espiritualidade santificadora, todavia, os que se comprazem no mal cancelam as próprias possibilidades de ressurreição na luz.

Cumpre-lhes a repetição do curso expiatório.

É a volta à lição ou ao remédio.

Não lhes surge diferente alternativa.

A lei de retorno, pois, está contida amplamente nessa síntese de Jesus.

Ressurreição é ressurgimento. E o sentido de renovação não se compadece com a teoria das penas eternas.

Nas sentenças sumárias e definitivas não há recurso salvador. Através da referência do Mestre, contudo, observamos que a Providência Divina é muito mais rica e magnânima que parece.

Haverá ressurreição para todos, apenas com a diferença de que os bons tê-la-ão em vida nova e os maus em nova condenação, decorrente da criação reprovável deles mesmos”. (Emmanuel. Pão Nosso. Cap. 127)

Bibliografia:

BÍBLIA SAGRADA.

EMMANUEL (Espírito); (psicografado por) Francisco Cândido Xavier. Pão Nosso. 1ª Edição. Brasília/DF: Federação Espírita Brasileira, 2018.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close