Julgar colocando-se no lugar do outro

“Não julgueis, para que não sejais julgados”. (Mateus, 7: 1)

“Não julguem apenas pela aparência, mas façam julgamentos justos”. (João, 7: 24)

“Porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo”. (Lucas, 6: 38)

“Embainha a tua espada; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão”. (Mateus, 26: 52)

Estas mensagens evangélicas demonstram os resultados decorrentes da lei de ação e reação, em que tudo aquilo que fazemos voltará para nós mesmos. Esta é uma das razões para não julgar, medir ou lançar a espada contra os nossos semelhantes, já que, muitas vezes, seremos julgados, medidos e feridos.

Em situações de julgamento, será importante desenvolver a compreensão no caminho do amor e da paz, colocando-se no lugar do outro, para não realizar julgamento leviano que conduz a enganos ou ressentimentos futuros.

Empatia é a capacidade de colocar-se no lugar do outro para entender suas necessidades, sentimentos e problemas. Para adquiri-la, é preciso escutar ativamente as pessoas e captar suas emoções, para chegar a uma relação próxima e compreensiva. A empatia permite a compreensão das emoções e atos alheios, sem ter necessariamente que concordar com eles.

Esta virtude também requer aprender a afastar o “eu” dos seus pretextos, das suas razões, ideias e pensamentos, para saber pensar a partir da ótica do outro. Esta visão leva-nos a ampliar percepções e evitar julgamentos fechando em nós mesmos.

Antes de julgar, examine como seria o seu comportamento, antevendo as consequências. Busque mais a compreensão, a mansidão e a paz, controlando os impulsos e os assédios de sugestões que somente fazem ferir os nossos semelhantes. Espiritualmente, transporte-se para além desta vida, onde se farão sentir os seus efeitos.

Jesus disse: “aquele que estiver sem pecado atire a primeira pedra”. Esta máxima faz da indulgência um dever, pois não há quem dela não necessite para si mesmo. Ensina que não devemos julgar os outros mais severamente do que nos julgamos a nós mesmos, nem condenar nos outros os que nos desculpamos em nós. Antes de reprovar uma falta de alguém, consideremos se a mesma reprovação não nos pode ser aplicada.

Bibliografia:

ALETEIA. Colocar-se no lugar do outro: a empatia. Artigo publicado originalmente por LaFamilia.info. Disponível em: https://pt.aleteia.org/2014/04/29/colocar-se-no-lugar-do-outro-a-empatia/. Publicado em: 29 de abril de 2014. Acessado em: 27 de abril de 2020.

BÍBLIA SAGRADA.

KARDEC, Allan; tradução de Guillon Ribeiro. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 1ª Edição. Brasília/DF: Federação Espírita Brasileira, 2019.

SILVA, Saulo Cesar Ribeiro da (Coordenação). O Evangelho por Emmanuel: comentários ao evangelho segundo Mateus. 1ª Edição. Brasília/DF: Federação Espírita Brasileira, 2017.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close